Blog


Home Blog Terceirização do processamento de sólidos: vantagens e desvantagens
SAPS - Terceirização do processamento de sólidos: vantagens e desvantagens

Terceirização do processamento de sólidos: vantagens e desvantagens

Cada vez mais em pauta no mercado brasileiro, o outsourcing ou terceirização de serviços, ativos, equipamentos e mão-de-obra, denominados como bens especializados, entrou no radar dos tomadores de decisão dos mais diversos segmentos.

A tendência foi  analisada de perto pela pesquisa Sondagem Especial realizada pela CNI – Confederação Nacional da Indústria, que gerou alguns dados interessantes para quem está considerando adquirir toda infraestrutura, equipe e expertise técnica ou contar com um parceiro que possa assumir parte dos processos da planta fabril de sua indústria, isto é, estão ponderando entre aquisição ou terceirização.

A pesquisa aponta que, em 2016, quase dois terços das empresas escolheram terceirizar algum aspecto de sua operação. Isso se dá pela expressiva redução de custos que o modelo de negócio oferece para a indústria. E esse não é o único motivo.

O estudo ainda revela que mais de 80% das indústrias têm o desejo de manter essa terceirização e que se não pudessem terceirizar teriam seu negócio prejudicado. E mais: 21% das empresas pretendem expandir a contratação de parceiros especializados. Esses dados demonstram a crescente adesão do modelo.

Nas indústrias da construção, da transformação e extrativa (considerando as de minerais e metais), o segundo serviço mais terceirizado é justamente o “aluguel”, montagem e manutenção de equipamentos. E isso não muda quando a operação é referente ao processamento industrial de sólidos.

Portanto, para os responsáveis pela operação de uma indústria, como gerente de operação e de produção, analisar os prós e contras desse modelo é o primeiro passo.

 

Vantagens e desvantagens da terceirização para o processamento de sólidos

Pensando nisso, a SAPS elencou as principais vantagens e desvantagens da terceirização para o processamento de sólidos, levando em consideração as etapas de moagem ou redução de tamanho da partícula, micronização, classificação e análises de laboratório industrial.


No âmbito do negócio e do mercado, terceirizar pode trazer como vantagem:

  • Expressiva redução de custos operacionais por meio da otimização do processo;
  • Mitigação do desperdício de recursos, matéria-prima, energia, mão-de-obra não especializada e de treinamentos para capacitação e especialização;
  • Aumento da especialização da operação e da qualidade do produto final;  
  • Quadro diretor do negócio com mais tempo hábil para se dedicar ao core business;
  • Escalonamento da operação de acordo com a demanda – seja crescente ou decrescente, o que impacta diretamente na previsão de custos e pode representar respiros financeiros para a empresa quando a época é de baixa demanda, bem como permite à empresas pequenas ou com infraestrutura limitada atender demandas maiores com o auxílio do parceiro;
  • Baixo custo de investimento inicial para empresas novas e que estão montando sua planta fabril quando comparamos com o custo de aquisição do maquinário, infraestrutura e pessoal para execução da operação;
  • Constante atualização dos equipamentos, o que previne a obsolescência, defasagem e depreciação.


E como desvantagens podemos apontar:

  • Incertezas da legislação trabalhista quanto à terceirização como modelo de negócio;
  • Remanejamento de pessoal ou alto número de demissões na implantação da parceria, o que gera custos demissionais no processo transicional;
  • Riscos na hora de escolher o parceiro ideal pela falta de minuciosidade da escolha. Aqui, uma auditoria de parceiros e fornecedores se faz imprescindível;

Já para o segmento industrial que tem o processamento de sólidos terceirizado como estágio da sua produção, as vantagens são:

  • Introdução de novos produtos no mercado com investimentos e riscos reduzidos;
  • Produção de materiais de nicho de forma econômica;
  • Predição de custos;
  • Aumento da capacidade produtiva sem a necessidade de investimentos em infraestrutura;
  • Diversidade de equipamentos, que cobre todas as tarefas de moagem, micronização e classificação de materiais;
  • Maior expertise em processamento industrial de sólidos;
  • Ganho de segurança, suporte e economia com manutenção preditiva;
  • Menores riscos de contaminação;
  • Maior credibilidade e agilidade para análises laboratoriais, em razão da alta expertise e precisão dos equipamentos.

Considerando as observações acima,  você e sua empresa devem tomar essa decisão de forma consciente, sempre ponderando o que é melhor ou pior para o momento de negócio da sua indústria.

 

Ficou alguma dúvida? Fale com um consultor SAPS e entenda os benefícios que essa parceria pode te oferecer.

New call-to-action