Blog


Home Blog Como aumentar a capacidade produtiva da sua indústria sem investir em infraestrutura
SAPS - Como aumentar a capacidade produtiva da sua indústria sem investir em infraestrutura

Como aumentar a capacidade produtiva da sua indústria sem investir em infraestrutura

O investimento para aquisição do equipamento fabril é elevado e pode ultrapassar o orçamento disponível. E, agora, terceirizar é uma boa opção?

Seguindo a tendência de debates da economia brasileira, a terceirização tem ganhado notoriedade em veículos informativos e oficiais da indústria nacional, inclusive, é tema do Poder Legislativo, que pretende melhorar as leis quanto à terceirização de serviços no país.

Todo esse cenário aponta o que, para alguns, já é bastante óbvio: a terceirização é o futuro dos modelos de negócio e impacta positivamente em diversos segmentos. Quando se fala em indústria, a adesão desse modelo é ainda maior. De acordo com a Sondagem Especial, realizada em 2017 pela CNI – Confederação Nacional de Indústrias, seis em cada dez indústrias brasileiras – de transformação, extração e construção – utilizam algum tipo de serviço terceirizado em pelo menos uma etapa de sua produção.

Um dos principais motivos para adotar serviços terceirizados é a possibilidade de ampliar a quantidade e a qualidade da produção sem a obrigação de investir em infraestrutura, como a compra de equipamentos ou até contratação ou treinamento de mão de obra especializada.

Pensando nisso, a SAPS separou alguns cenários em que a terceirização é aliada do Engenheiro de Projetos das indústrias, principalmente nas etapas de processamento de sólidos, como redução de tamanho (moagem), micronização, classificação e análises de laboratório.

Elimina a necessidade de investimentos em infraestrutura da sua indústria para renovar, ampliar ou otimizar sua produção

Tanto para uma pequena fábrica quanto para uma grande indústria, renovar ou tirar do papel uma planta fabril geralmente é um processo trabalhoso e que pode custar caro, se considerarmos o valor de aquisição do espaço físico, dos equipamentos e de equipe especializada para utilização desses equipamentos.

Terceirizar o processamento de sólidos pode representar ainda:

Maior eficiência de produção: a contratação de um parceiro especializado para processar sólidos trará para sua fábrica expertise técnica e qualidade dos equipamentos utilizados em cada etapa da produção.

Significativa redução de custos: a partir da melhor performance da cadeia produtiva, é possível alcançar mais produção em menos tempo. Além disso, é esperado o aumento da qualidade do produto final. Esses benefícios alinhados à estratégia de vendas da empresa, podem gerar incremento no preço do material processado ao seu cliente, já que você poderá oferecer mais qualidade e quantidade em um tempo reduzido.

Maior previsibilidade de custos: você irá saber exatamente qual o valor de investimento mensal para contratação dos serviços terceirizados de moagem, micronização, classificação e análises de laboratório de sólidos.

Para demandas sazonais, não é preciso investir em mais equipamentos: escalabilidade é a palavra. Para mercados nos quais ocorre uma flutuação de demanda ao longo do ano, considerando datas comemorativas, por exemplo, investir em uma infraestrutura própria pode ser um movimento errôneo.

Uma vez investido o capital em um modelo de planta fabril para atender a demanda “X”, renovar e ampliar essa planta fabril para atender a demanda “2X” implica em um investimento muitas vezes inviável. Por isso, terceirizar os serviços de processamento significa escalabilidade para seus negócios.

Manutenção, segurança e novas tecnologias são responsabilidades do parceiro: em um modelo de negócios terceirizado, toda manutenção, limpeza, segurança, atualização de equipamentos é feita exclusivamente pelo seu parceiro de negócios, gerando uma redução de custos inclusive com equipe para realização dessas tarefas.

Optar pela terceirização da produção da sua indústria é um caminho que tem se demonstrado não só válido, mas também lucrativo.

New call-to-action